Como funciona?

passos

 

  1. Efetuar a inscrição através do site - Cada equipa deverá ser constituída no mínimo por 10 jovens e um Professor/Técnico responsável;

  2. Após a inscrição, será atribuída uma senha ao Professor/Técnico responsável para aceder à plataforma de E-learning onde será acompanhado pela Escola superior Paula Frassinetti numa formação específica.

  3. Escolha do caso entre os 14 casos disponíveis para julgamento. Os casos estão disponíveis no "Manual Dossier de Casos".

  4. Após a formação e escolha de caso, iniciam a fase de preparação para o julgamento. Nesta fase são sugeridas várias dinâmicas para gerar a argumentação defesa/acusação. As equipas deverão distribuir os papéis e elaborar as peças processuais necessárias para o julgamento;
    Cada equipa será incentivada a encontrar um advogado tutor na sua área territorial. Nas zonas de Lisboa e Porto a "Abreu Advogados" disponibilizar advogados tutores responsáveis por aconselhar o professor e os alunos durante a fase de preparação e no dia da simulação.

  5. As semanas "Justiça Para Tod@s", que decorrerão dezembro de 2016 (1ª Fase) e abril de 2017 (2ª fase), são o culminar de todo o projeto, visto que é neste período que se realizam as sessões de julgamento e outras atividades sugeridas no programa. As sessões são realizadas preferencialmente num tribunal da comarca, ou, caso não haja disponibilidade, na própria escola.


Ao longo de todo o projeto, as equipas são desafiadas a desenvolver atividades sobre a temática da Justiça e do Direito nas suas comunidades.

Metodologia

metodologia

  • Metodologia centrada em ações/instrumentos de educação não formal e participativa, adaptada aos diferentes grupos - alvo e faixas etárias;
  • Ferramenta focada na aprendizagem para as questões da Justiça e dos Direitos Humanos assente na simulação de julgamentos - "role-play games" - procurando-se, através de um desafio prático, proporcionar uma compreensão mais alargada do que são Direitos Humanos e a Justiça;
  • Cada grupo (de Escola, Programa Escolhas, Centro Educativo, ...) poderá escolher um caso, dentro dos onze disponíveis, para a simulação de um "julgamento" e terá um(a) professor(a)/ técnico(a) responsável que fará formação específica para a tutoria;
  • Cada grupo deverá desenvolver uma programa de atividades complementares para sensibilização da sua comunidade;
  • A formação dos responsáveis contará com a coordenação da Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti, com a colaboração de académicos, advogados e magistrados;
  • Para além dos Agentes de Educação, cada grupo terá um(a) advogado(a)-tutor.
  • Os Jogos de Simulação são realizados nos Tribunais e presididos por Juízes;
  • Para o contexto escolar: possibilidade de integração nas disciplinas das áreas julgadas adequadas, devidamente enquadrado no projeto educativo da Escola aderente;
  • Semanas "Justiça Para Tod@s": durante estas semanas, os jovens vão deslocar-se aos tribunais para a simulação do julgamento que será presidido por um Juiz real.